Seria muito bom que a Páscoa não fosse levada a sério

Hoje os cristãos celebram a Páscoa. Apesar de todo o empenho em celebrar a ata de forma dedicada, a comemoração do período que vai da sexta-feira, passando pelo sábado e culminando hoje se refere a uma lenda cheia de absurdos que a lógica prova ser impossível de ter acontecido plenamente.

Seria ótimo se as pessoas enxergassem nas estórias que vão da morte e ressurreição de Cristo uma simples lenda a ser admirada como mero entretenimento. Mas não é isso que acontece. Cristãos levam muito a sério este período e pensam que acreditar que esta estória tem influência na realidade cotidiana melhoraria este mesma realidade.

Mas acreditamos nessa estória há séculos e é mais que comprovada a sua inutilidade para a transformação da sociedade. Não é preciso acreditar uma estória surreal e piegas para se tornar uma pessoa bondosa e disposta a ajudar os outros. Pelo contrário: não acreditar nela faz com que o altruísmo seja mais eficiente e realista. Além de que é muito comum cristãos serem negligentes com o bem estar alheio, além de se irritarem feroz mente quando são contrariados.

A Lenda da Páscoa

A estória, de forma resumida, é a seguinte: uma divindade que é ao mesmo tempo o próprio Deus e filho dele decide morrer para salvar a humanidade e passa por um longo julgamento e é condenado a se pregado em uma cruz, tendo que carregá-la para chegar ao lugar da punição. Durante a punição, o céu se escurece e o "Deus encarnado" morre, não sem antes receber a sua velha mãe com cara de mocinha a chorar sob seus pés. No domingo, esse "Deus" ressuscita, toma seu corpo de volta, se despede dos amigos e apóstolos e voa em direção ao céu onde está até hoje.

Vocês são obrigados a concordar comigo que esta estória tem características tipicas de um conto de fadas. Uma pessoa com o minimo de intelecto vai perceber muitos erros nesta lenda. Mas a aceitação disso tudo como real se deve ao baixo nível intelectual e da recusa em confrontar dados, talvez por medo de uma punição por um Deus que ninguém conhece direito. Tolice, mesmo que Deus existisse, se ele deu a inteligência foi para ser usada. Mais fácil sermos punidos por acreditar em uma estória esfarrapada sem pé nem cabeça.

Ou seja: trocando em miúdos, a estoria da morte e ressurreição de Cristo é tão real quanto a do coelho que põe ovos de chocolate que se chocados, vão fazer nascer brinquedos.

Os fatos, caso a lenda tivesse sido real

O que pode ter acontecido, caso Jesus tenha existido: Jesus era um ativista social que aconselhava as pessoas a desenvolverem seu senso moral e intelectual. Isso incomodava as autoridades que decidiram puni-lo por enxergar nele uma ameaça ou um concorrente a tomar o poder. Sua condenação se deu por motivos políticos. Não houve o tal longo julgamento, o céu não se escureceu por causa disso e provavelmente pode não ter sido crucificado, sendo punido de outra forma. Não ressuscitou pois não poderia mais utilizar o corpo, em processo de deterioração. O que pode ter acontecido é que ele pode ter se materializado (espirito tomando forma material, por ectoplasma) ou ter sido uma alucinação de várias pessoas (lembrando que o sol escaldante do Oriente Médio permite alucinações). Ela não subiu aos céus e desconhece o que aconteceu com ele depois disso. O mundo espiritual ainda é uma incógnita que ainda não começou a ser estudada.

Mesmo assim, nada está comprovado quanto a isso. A existência de Jesus em si é uma hipótese e ainda não foi encontradas evidências que provem a sua existência. Mas a crença em sua existência conforta multidões carentes por alguém que possa fazer o papel de herói ou tutor para cuidar delas e dizer a elas o que deve ou não ser feito.

De qualquer forma, não leve a sério a Páscoa. Mesmo que tenha sido real, el deve ter acontecido há 2000 anos atrás e muita coisa mudou desde então. Você nuca irá resolver os problemas atuais procurando por respostas em mais de 20 séculos, num contexto totalmente diferente do atual.

Comentários

Postagens mais visitadas