Religiosos só querem saber do que lhes interessa

Religiosos são metidos. Entusiastas da fé cega, se consideram mais sábios e mais inteligente os que o resto da humanidade. Isso sem mover sequer um neurônio. Para eles acreditar nos absurdos que "enviados divinos" lhes dizem é a "verdadeira sabedoria". Uma "sabedoria" inútil para a melhoria de toda a sociedade.

Religiosos dizem que estudam as obras que alegam defender. Mas a primeira vista se percebe que este estudo ou nunca foi feito, ou foi feito de modo errado. Pois há pontos nas doutrinas defendidas que vão contra os interesses e a convicções de seus fiéis.

A Bíblia, por exemplo, traz, além de absurdos e contradições, injustiças praticadas por "Deus", muito sadismo, violência e sexo irresponsável. Vários pontos contidos no livro "sagrado" chocam com pontos defendidos pelas igrejas que o adotam como "manual de moralidade". Até mesmo incesto, mortes injustificadas, seres fantasiosos e muitas outras barbaridades estão contidas na Bíblia cultuada pelas mesmas religiões que afirmam reprovar este conteúdo.

O "Espiritismo" brasileiro, com base no mais católico Cristianismo, também cultua seus livros sem lê-los. Tanto a obra da codificação kardeciana, considerada "rebuscada" pelos "espíritas" quanto os delirantes livros de Chico Xavier, assinados por supostos "espíritos", também não são lidos de forma adequada. 

"Espíritas" não reparam que as obras de Francisco Cândido Xavier possuem muitos absurdos sem pé nem cabeça que a lógica e o bom senso derrubariam com facilidade. E também se esquecem que a codificação kardeciana "rebuscada" reprova logicamente e sem hesitar quase toda a especulada mitologia em que os "espíritas" acreditam. Inclusive o próprio Chico Xavier, um farsante facilmente desmascarado pelo Livro dos Médiuns.

Outras religiões também seguem no mesmo hábito de selecionar o que deve ou não ser lido. Pentecostais são "especialistas" nessa prática, pois os fiéis, segurando a Bíblia como se fosse o próprio "Deus" materializado, se esquecem com frequência de lê-la, preferindo que suas lideranças façam a leitura, escolhendo pontos que possam garantir a submissão de fiéis e o poder dessas lideranças. 

Religiões são uma farsa, mas fiéis parecem que querem também fazer parte desse rol de mentiras, fingindo a total sapiência de algo que eles não conhecem sequer em 10%. Por isso mesmo que dizem: quem lê a Bíblia toda, vira ateu. O rol de bobagens que as religiões se esquecem que defendem é de deixar qualquer um louco. E da loucura dos religiosos, estamos fartos.

Comentários

Seguidores

Google+ Followers

Postagens mais visitadas