Religiosidade ainda existe graças ao espírito de manada

A religiosidade deveria ter sumido há bastante tempo. Mas no século XXI essa mitologia ainda se mantém cada vez mais forte e bem arraigada na sociedade, sobretudo a brasileira. Incapazes de fazer um raciocínio pleno e avançado, preferem continuar acreditando em absurdos contraditórios sem prova que impedem o avanço da humanidade e são origem de muitos preconceitos e injustiças.

Mas porque as religiões ainda continuam a existir em uma época de avanços tecnológicos e desejo de ampliação de direitos humanos? A explicação está naquilo que muitos intelectuais chamam de Comportamento de Manada ou "Espírito de Manada".

É uma teoria comportamental que sugere que as pessoas para se sentirem mais seguras seguem a tendência da maioria, pois se sente incapaz de decidir sozinha e/ou insegura demais para agir sem auxílio alheio.

A religiosidade, ainda defendida por gigantesca parte da humanidade, mesmo com ideias sem pé nem cabeça, seres sem existência comprovada e com características bem parecidas a um transe causado por entorpecente, pode se explicar desta forma porque o fato de ser amplamente popular oferece a segurança que só a integração em um grupo pode oferecer.

As pessoas acham que se a maioria acredita em Deus e em dogmas, e porque é o "caminho mais seguro". Isso é que faz com que verdadeiros absurdos sejam aceitos e defendidos com corpo e alma. Não porque estes absurdos valham a pena, mas porque são seguidos pela maioria e nossa sociedade acredita que "a maioria nunca pode estar errada". Ideia que em si já e um erro, pois maiorias podem muito bem tomar decisões e escolhas equivocadas.

Por isso que as pessoas mais conservadoras e submissas tendem a ser mais religiosas. Sem o raciocínio adequado e a coragem para assumir diferenças, o caminho mais seguro parece ser o da maioria. Isso até a maioria nos levar a um despenhadeiro, como ela tem provado capaz de fazer.

Comentários

Postagens mais visitadas