A economia parece recuperar. E o povo?

Pelo que parece, a economia brasileira está voltando aos eixos. Isso é comemorado pela imprensa golpista por motivos subjetivos: o empresariado está voltando a investir porque sabe que o governo instalado pelo golpe atende aos seus interesses, "do contrário do anterior que dificultava as coisas".

Animados a não ter mais seus abusos colocados diante de certos limites, os empresário voltam a investir no país não porque precisam desenvolvê-lo. Longe disso: empresários nunca estiveram preocupados em desenvolver nação alguma. O objetivo e investir para receber de volta multiplicado e levar o lucro para as suas matrizes. Quem ignora isso deveria se informar melhor.

Noticiários falam com entusiasmo dessa retomada. Os mais ingênuos ficam felizes com a notícia, achando que desta vez o Brasil irá se desenvolver e recuperar a economia. Seria ótimo se não fosse por um detalhe: e o povo como é que fica?

Quem não é ingênuo sabe muito bem que o povo é somente um "detalhe" para capitalistas. Capitalistas não gostam de pessoas, gostam de dinheiro, bens e poder. Quando se casam, capitalistas fazem das esposas um misto de troféu ("olhem a mulher com quem me casei!") e brinquedos sexuais. Quando vão contratar alguém, agem como se estivessem comprando um equipamento e este pensamento continua após a contratação, tendo o empregado o ônus de provar ao patrão que é um sr humano e não um "equipamento".

Para os capitalistas, desenvolver o país não é dar condições dignas ao povo, que como falei, é um mero detalhe para eles. Para os capitalistas, "desenvolver o país" é criar condições para que possam abusar ter liberdade para agirem como quiserem, com o mínimo de gasto e o máximo de lucro. Na verdade, o Brasil é um ser abstrato que se limita a uma bandeira, o hino e alguns símbolos. Lembra da frase "O povo vai mal, mas o Brasil vai bem"? Pois é, a ideia é essa mesmo.

Quem se anima com o crescimento da economia deveria enxergar isso com cautela. Será que essa retomada do crescimento será passada para a população? Há quem fale que economia retomada é sinônimo de mais emprego. Mas alto lá! A crise é benéfica para a classe dominante pois pode servir de justificativa para o corte de direitos e legitimação de abusos. E como falei, "dar empregos" não deve ser considerada uma forma de altruísmo, pois empresários pagam outros para fazer o trabalho que não podem ou não querem fazer.

E lembrando que não somente o Brasil, mas o "Mercado" (ou "Deus Mercado", como queiram) é também um ser abstrato que dita as regras invisíveis da dominação capitalista e impõe um conjunto de regras que devem ser obedecidas e seguidas sem contestação. E pelo jeito, somente este "Deus", que ninguém sabe quem é (seria a personificação das Grandes Corporações?), será o grande beneficiado dessa retomada econômica.

Melhor encarra com desconfiança as notícias otimistas da mídia. Até porque a própria mídia, cúmplice do golpe, é interessada no crescimento não do país, mas do crescimento da já muito bem crescida qualidade de vida do empresariado. 

O povo, como sempre, é um mero detalhe e se falam que tudo vai ser para o bem do povo, é melhor interpretar como um pedido par que o povo apoie essas iniciativas. Sempre foi muito bom transformar os interesses das elites em "interesse de todos". Isso faz com que qualquer medida abusiva se torne um sucesso. Nem que seja para ferrar com esse povo.

Comentários

Postagens mais visitadas