O papel dos religiosos no governo Temer

Percebe-se claramente que Michel Temer não tem personalidade. Seu governo se caracterizará muito mais por ser uma colcha de retalhos de sugestões de diversas forças conservadoras que, do contrário das progressistas, terão voz para dar e até impor a sua opinião. Entre estas forças, estão os religiosos.

Integrantes da bancada da Bíblia, de maioria evangélica, mas que inclui setores conservadores do Catolicismo e do "Espiritismo" (da linha do retrógrado Chico Xavier - já assumidamente concordante com o governo que se instala), já começam a agir para que as suas convicções pessoais, baseadas na crença em uma suposta liderança muito maior que qualquer outra (e que eles chamam de "Deus") sejam impostas a todos os habitantes do Brasil.

Algumas já começam a ser postas em prática, como a medieval Escola sem Partido (ironicamente criada por integrantes de partidos conservadores ligados a evangélicos), que pretende impedir o estímulo ao debate e ao discernimento no ensino, que passa a ser limitado pela aceitação passiva de conceitos transmitidos por livros a ser indicados pelos evangélicos. Tudo feito sobre vigilância tecnológica (quem disse que tecnologia é só avanço?), sob penalidade de demissão e até mesmo de prisão em caso de desobediência de professores ao que for imposto.

Ainda se desconhece as outras medidas. Sabe-se somente que ateus serão criminalizados. Outras formas de crença que dispensem o Cristianismo serão marginalizadas. Que não for cristão desde agora e fizer coisas que as sitas dessa linha reprovam estarão em sérios apuros.

Lideranças evangélicas já começam a ocupar cargos importantes no governo Temer. mesmo que Temer não decida nada, ele deixará carta aberta para que a bancada da Bíblia faça o que quiser. Realmente os cristão são capazes de coisas mais satânicas que os satanistas. Se o inferno existe, certamente será o Brasil de Michel Temer e seus amiguinhos cristãos.

Comentários

Seguidores

Google+ Followers

Postagens mais visitadas