Corrupção: o "pecado original" da religião Neoliberal

Os empresários mais poderosos do mundo e também de nosso país são capazes de pagar tudo e todos para que seus interesses convirjam com os da maior parte da população. Graças a muita propaganda publicitária difamatória, mas muito bem feita, com recursos sofisticados da semiótica, nasceu no senso comum brasileiro um ódio ás ideias de esquerda, causando uma inversão de valores onde os papeis do Socialismo e do Capitalismo fossem trocados.

Capitalistas viraram "santos" e os socialistas"demônios", mesmo que as ações correspondam inversamente à fama inversamente adquirida. Afinal como classificar de "homens de bem" lideranças gananciosas capazes de exigir muito em troca de nada e que colaboram para que multidões se encontrem na mais insolúvel miséria?

Essa campanha, evidentemente financiada por quem mais se interessou pela saída dos petistas do poder alem do impedimento da entrada de novos esquerdistas, acabou convencendo boa parte da população, tradicionalmente alienada, que desconhece a história política, as relações complexas de poder e tem absoluta confiança nos meios de comunicação, controlados por empresário com sede de poder e operados por jornalistas carneirinhos mais preocupados em manter os seus suados empreguinhos.

Essa campanha difamatória contou, além dos políticos de direita, da mídia e do próprio empresariado, com o apoio do Poder Judiciário (sobretudo através da figura de Sérgio Moro, um jovem playboy com cara de militar, treinado pelos serviços secretos americanos) e de lideranças religiosas, principalmente de Silas Malafaia, líder da igreja que tem Eduardo Cunha e Jair Bolsonaro como suas lideranças políticas.

Interessante destacar a participações das religiões ("espíritas" brasileiros também apoiaram discretamente o golpe), pois tudo que se tem falado sobre a cena política brasileira está sendo difundido como um dogma religioso, sem provas, com amplo julgamento injusto e promessas vazias. Até mesmo uma espécie de "pecado original" foi criado, a "corrupção" para que o foco direcionado para os verdadeiros problemas do país fossem desviados. 

Interessados na saída dos petistas não são prejudicados pela corrupção

A corrupção não é o principal problema do país. Em muitos casos nem interfere em nosso cotidiano. Em outros interfere na execução de obras públicas que curiosamente não são utilizadas pelos que mais bradaram "contra a corrupção". Os que mais queriam que o PT saísse, usando a desculpa de corrupção, não são prejudicados pela corrupção,. E para piorar os mesmos fazem vistas grossas a corruptos bem piores que tomaram posse no governo claramente golpista.

E é bom lembrar que a iniciativa privada é altamente corrupta. A corrupção é uma prática tipicamente capitalista e o PT só virou corrupto após se aliar as forças de direita que o ajudaram a vencer eleições e aprovar projetos. Empresários são os que mais roubam e posso considerar uma desonestidade quando empresários muito ricos pagam mal seus funcionários, uma prática extremamente comum no Brasil. Ricos pagando salário de fome aos seus funcionários é quase uma escravidão e já é um bom motivo para por esses "homens de bem" na cadeia.

O verdadeiro problema do país é o salário minimo baixíssimo (que não garante a moradia, direito essencial cujo valor de aluguel já supera o do salário minimo) e a má distribuição de renda. Coincidência ou não, a atual crise começou quando aumentou a quantidade de ricos em nosso país e também a renda que entra em suas polpudas contas bancárias, várias delas em paraísos fiscais. Isso merece uma investigação muito mais detalhada.

Mas agora é  pagar o lenço e chorar. Graças a imensa grana paga a todos os envolvidos (como garantiu um político de direita: de que muito dinheiro seria investido para garantir o "Impeachment"), temos agora um governo ganancioso, retrógrado e muito mais incompetente. Mas esses defeitos não aparecem nos estereótipos de homens "elegantes e responsáveis" que integram o governo de Michel Temer, um advogado medíocre que se torna um presidente ainda mais medíocre, na verdade "laranja" de políticos que perderam as eleições em 2014, mas cismaram que Dilma venceu após "fraudar" as urnas eletrônicas, fraudando agora para tetar voltar ao poder.

Vem chumbo grosso por aí. As elites estão tranquilas, pois nada acontecerá com elas. Já a corda, como sempre arrebentará para o lado mais fraco e muitos pobres (incluindo os que apoiam o governo Temer) vão pagar um preço bem caro, tirando de onde não tem para dar ao que já tem demais.

Comentários

Postagens mais visitadas