Criticar as religiões não é intolerância religiosa

Muitos dos que fazem cíticas às religiões estão sendo acusados de intolerância religiosa por parte dos fiéis. Estes entendem que qualquer tipo de observação que não os agrade serve como censura a impedi-los de acreditar o que eles querem que seja acreditado. Mas precisamos esclarecer uma coisa sobre isso. 

Temos absoluta consciência de que a lei protege a crença religiosa, que é o direito pessoal de cada um. Cada um tem o direito de acreditar no que quiser, até porque a fé faz parte do instinto humano e por isso uma necessidade biológica, mesmo que momentânea. Enquanto a pessoa não estiver ainda madura para entender a realidade de forma mais lógica, é compreensível que tenha o seu direito a fé respeitado. Até porque cada um é dono do que acontece dentro de sua própria mente.

A fé, de certa forma é positiva no sentido cultural e porque serve de consolo para pessoas cuja realidade não parece boa. Como instrumento de desenvolvimento cultural é até útil, pois muitas manifestações vieram da fé religiosa. É incontestável que muitos templos religiosos são tesouros da arquitetura que merecem ser valorizados e preservados.

Mas a religiosidade se torna nociva quando aplicada à realidade e é isso que nós criticamos. Religiões são mitologias e como tais, devem ficar limitadas no mundo da fantasia, da ficção. Mesmo que seja um direito das pessoas acreditar que certos mitos sejam reais, que isso fique limitado à vida de cada indivíduo em particular.

Mas aplicar conceitos religiosos contraditórios, mesmo em pontos de uma mesma fé (uma só religião pode ter pontos que se contradizem entre si, pois não possuem a razão como base ideológica) à realidade coletiva é um grave erro, pois a realidade exige comprovação de conceitos e nenhuma sociedade é obrigada a acreditar como real algo que só existe na mente de alguns.

Portanto, não praticamos intolerância religiosa. Por incrível que pareça, os ateus são os que mais respeitam as religiões, pois temos a isenção ideológica que nos permite entender todas elas. Religiosos, temendo a concorrência de religiões e ideologias diferentes das suas, costumam ser intolerantes com certos pontos de vista opostos aos seus, o que rende muita discórdia e muitas guerras, com graves e vastos danos físicos e coletivos.

Respeitamos o direito de crença. O que não podemos respeitar é a utilização dessas crenças para bagunçar a realidade e impedir o alcance de pessoas a dignidade e a vários direitos fundamentais. 

Fé é algo muito pessoal, individual até. Acredite naquilo que quiser, mas respeite o pensamento do próximo que não possui a mesma fé e o desenvolvimento normal da realidade cotidiana.

Comentários

Postagens mais visitadas