Religião: onde as contradições convivem em paz

As religiões podem até se diferir entre um dogma e outro. Mas todas poderiam ter o mesmo lema: "as coisas podem ser e não ser ao mesmo tempo". Como são todas baseadas na fé cega e na não-verificação, as contradições se tornam integrante frequente da cada tipo de fé.

Claro que para não haver contradição, deveria haver maior racionalidade, maior contestação e mais pesquisas. Mas não é isso que acontece. Apesar de cada religião firmar que está com a verdade.

E essa verdade que em si só já puxa algumas contradições. Se todas as diferentes crenças, que discordam entre si estão todas com a verdade, que verdade é essa que difere tanto de crença para crença! Certamente ou apenas uma ou nenhuma delas (prefiro ficar com esta opção) está com a verdade. A maioria ou todas estão mentindo.

Se cada religião afirma estar com a verdade, porque entra tanto em contradição, se a lógica diz que algo não pode ser e não ser ao mesmo tempo? Uma verdade que se anula? Sei não.

Para que cada religião não pose de mentirosa, mas continue a defender e difundir teses absurdas, apelaram para a malandragem chamada "mistério da fé". É aquela coisa: se alguém questionou um ponto absurdo, vem um fiel ou sacerdote alegando que "quando a pessoa se evoluir (sic), irá entender a questão". E 2000 anos se passaram e ninguém até agora, fora os ateus, se dispôs a explicar alguma coisa. "Mistério da fé" coisa nenhuma: é malandragem mesmo!

Até mesmo essa gororoba mística que os brasileiros chamam de "Espiritismo" (que nada tem a ver com o Espiritismo original, embora poucos saibam disso), tem mentiras e contradições como pilastras frouxas a sustentá-la. E de forma mais grave, pois apesar de viver bajulando a ciência, chega a fazer fraudes, forjando provas falsas para provar as asneiras que se assumem como dogmas. Usa a má-fé quando outras crenças permanecem na ingenuidade da boa-fé, a única diferença do "Espiritismo" chiquista em relação às outras crenças.

Pior que esse "Espiritismo" idiota ainda compactua com essa palhaçada de "mistério da fé", alegando que as tolices serão melhor compreendidas após a "evolução espiritual", o que para mim é uma versão para a "doutrina" da falacia das outras crenças.

Sinceramente, para mim é o oposto: com a evolução, desenvolvemos nosso intelecto e aí criamos condições para perceber de uma vez por todas que todas as religiões são todas farsas criadas por seres humanos a difundir convicções pessoais. Evoluídos, observamos melhor as contradições e mentiras, evitando sermos enganados por pessoas divinizadas (dividades não existem!), que se acham donas da verdade e obtém poder, dinheiro e satisfação de mesquinharias, tudo às custas das ideias tolas que eles as propagam.

Comentários

Seguidores

Google+ Followers

Postagens mais visitadas