Fé e teimosia: andando sempre de mão dadas

Além da fé cega - ou justamente por causa dela - outra coisa que une todas as religiões é a teimosia. As pessoas iriam citar "Deus", mas os deuses de cada religião são tão diferentes e algumas, como alguns ramos do Budismo, sequer acreditam em divindades, que "Deus" não consegue ser motivo de comunhão e concórdia entre diferentes crenças.

Ou seja, o que une todas as religiões é fé e teimosia. E as duas andam juntinhas, como almas gêmeas, como um casal perfeito. Até porque somente a teimosia pode validar ideias nascidas fora da lógica e do bom senso, muitas delas envoltas em contradições.

Religiosos sempre são pessoas teimosas. Sempre se fecham para diálogos e quando se dispõem a conversas, sempre acabam oferecendo um monólogo estúpido onde ele defende de maneira convicta e empolgada as asneiras em que acredita. Ah, e adoram acreditar serem sábios, apesar de não usarem  cérebro de forma adequada.

Sempre que uma pessoa mais sensata tenta devolvê-lo à razão, o religioso se irrita, pula, bate o pé, grita, sempre se achando melhor que o outro simplesmente por acreditar que segue um ser superior. Se alguém está com o superior (O Gigante Invisível que eles chamam de "Deus"), então esse alguém é também superior. 

Não adianta discutir com um religioso. Embora não assumam, são totalmente teimosos. Talvez por sub-concientemente saberem que seguem uma tolice que muitos seguem (Paradoxo de Abilene), se irritam quando são questionados, preferindo lançar de argumentos ainda mais absurdos para defender com garra os absurdos em que acreditam.

Como é que os religiosos se acham sábios, gostam de ser chamados de inteligentes se não estão dispostos ao diálogo para tentar provar que muito do que acreditam não faz o menor sentido? 

Religiosos são como crianças que acreditam no bicho papão, juram que o viram, mas não aceitam que adultos lhes digam que tais seres não existem. Religiosos vivem se esperneando para que admitamos que eles estão certos e só eles. Para os religiosos, admitir erros faz muito mal para o ego.

E o que fazer para esclarecer esses teimosos crônicos? Simplesmente esperar que os líderes religiosos que os tutelam os decepcionem e mostrem que são falíveis e que os dogmas sejam provados como absurdos, impossíveis de acontecerem e serem verdades.

Se os religiosos se acham inteligentes, deveriam examinar melhor as suas crenças. Se querem estar com a liberdade e com a verdade, pra quê continuar presos em uma coletânea de mentiras, só porque um lendário Gigante Invisível lhes mandou acreditar nessas mentiras?

Ouçam a voz da experiência: pensem mais, saibam mais, acreditem menos. Cérebro não serve só para pesar a cebeça.

Comentários

Postagens mais visitadas