Mil vezes esse Catolicismo do que o Catolicismo enrustido dos "espíritas"

Hoje começa a jornada mundial da Juventude, evento que vai tentar atrair os jovens para seguir o Catolicismo. Ideal que a religiosidade não existisse mais entre os jovens, mas como sinal de que ainda não vivemos em uma sociedade evoluída, as religiões ainda seguem muito fortes. Que digam os jovens pedreiros evangélicos que estão trabalhando na reforma da minha cozinha, agora, ouvindo rádio gospel. Mas a natureza não dá saltos, enquanto a sociedade não aprender a andar com a suas próprias pernas, tenhamos a religião como um "mal " necessário e provisório.

Mesmo assim, Catolicismo e Protestantismo tentam se adaptar, mesmo com muitas limitações, aos tempos modernos, revendo aos (muito) poucos seus conceitos, do contrário do "Espiritismo" brasileiro, governado por espíritos de padres medievais descontentes com as mudanças do Catolicismo Apostólico Romano que acabaram com a inquisição e com outros erros do passado. A religião de Emmanuel, "André Luiz" e quejandos anda presa no medievalismo infeliz das catacumbas, o que só atrapalha tudo.

Mas eu prefiro mil vezes católicos e evangélicos do que "espíritas". Pelo menos os católicos e evangélicos não ficam fingindo que são "fé raciocinada", assumindo que sua fé é puramente emocional.

O JMJ será um evento divertido para os jovens católicos. Mas por incrível que pareça, recomendo aos não católicos irem também, como forma de socialização. Não precisa concordar com a parte dogmática presente no discurso do Papa. Muitos jovens de diversos lugares estarão e como católicos não são radicais - assim como crentes da linha Batista - dá para fazer boas amizades.

Pelo menos esse Papa Francisco é uma simpatia, do contrário que o anterior, Bento XVI, um pouco sisudo, radical, se comparado ao simpático, mas politicamente conservador João Paulo II. Aliás, o falecido Papa polonês, como homem culto que era, se interessou em admitir que sem a razão, a fé não tem força, mesmo que na prática fizesse pouco para entrar em coerência com este reconhecimento. Vamos ver se o Papa Francisco, empenhado em fazer um Catolicismo mais humilde, pense melhor do saudoso João Paulo II.

Chico Xavier, o antigo "Papa Francisco": um estranho no "Espiritismo"

Enquanto isso, o outro "Papa Francisco", vem cada vez menos sendo admirado por espíritas, e mais lembrado por espiritólicos (os "espíritas" brasileiros) e por alguns seguidores de outras religiões. Fora do Espiritismo, Chico Xavier ainda é estigmatizado como "O Espírita", embora a crença que o famoso médium tinha no Catolicismo, fosse a sua fé inabalável.

Chico Xavier gostaria de participar do JMJ, se estivesse vivo. Talvez esteja presente em espírito, se ainda não reencarnou (e bem provável de ter reencarnado). Devoto de Nossa Senhora, mas perplexo por ter sido excomungado por padres que reprovaram sua mediunidade, ele se sentiu perdido, encontrando na FEB os amigos de sonhava em ter na igreja dos Papas.

Mas entre o Catolicismo moderno e o Catolicismo arcaico, dos padres da inquisição (sim, eles mandam no "Espiritismo" brasileiro), prefiro o moderno do Papa Francisco (o argentino). Pelo menos este Catolicismo assumido, admitiu os erros do passado e ainda procura se corrigir, tentando se adaptar aos tempos.

Que o simpático Papa Francisco seja bem vindo e que o JMJ possa ser divertido para os jovens, estimulando o surgimento de novas amizades.

Comentários

Seguidores

Google+ Followers

Postagens mais visitadas