Coxinhas que se dizem cristãos se esquecem que Jesus foi "comunista"

Os conservadores que se acham cristãos não sabem que cometem a pior das contradições ao se assumirem seguidores de Jesus Cristo. Mesmo os maios religiosos dogmas defendidos a respeito de Jesus citam características que o definiriam claramente como um ideólogo de esquerda. Sim, esquerda, progressista, ou na fértil imaginação dos coxinhas: COMUNISTA!

Jesus, cuja aparência reconstruída após pesquisas de DNA dos povos locais revelou como um pouco parecido com o Lula (chorem coxinhas...), era um humanista pleno. Considerava o bem estar de todos, eu disse TODOS os seres humanos, e não recusava pessoas consideradas "do mal", entendendo o mal como algo transitório, resultante da ignorância. Um bandido, por exemplo, era visto por Jesus como uma pessoa que errou, merecendo chances de se recuperar.

Jesus era entusiasta da não violência. O mito de que ele deu chicotada nos vendilhões do templo parece não ser real, pois na verdade ele utilizou o chicote para fazer barulho, já que sabemos que mercados costumam ser lugares muito barulhentos e Jesus precisava ser ouvido na ocasião. Jesus era radicalmente contra a violência, muitas vezes pregadas pelos coxinhas que se acham cristãos.  Que maus discípulos Jesus teve que ganhar, hein?

Jesus era pobre não por pose ou postura. A família dele não entendeu a sua militância e ele teve que deixá-la. É outro falso mito o de que a família apoiou a militância de Jesus - que não era divindade nenhuma, o que significa que Jesus pode sim ser aceito por ateus, mas como personalidade possivelmente histórica - pois seus pais queriam mesmo que Jesus continuasse carpinteiro, que era a oportunidade profissional que lhe apresentava.

O ativismo de Jesus nada tinha de religioso. O único contato com a religião que se sabe mesmo é o "batismo" ao lado de seu primo, que seguia uma estranha seita que batizava as pessoas em um rio. Como gentileza e respeito ao seu primo João, Jesus topou participar do ritual, até hoje superestimado por cristãos de todo o mundo, que acredita em um Jesus mitológico, na verdade inventado pelo imperador Constantino, interessado em fundar uma seita cristã.

Jesus era mais um ativista político e a sua condenação tem muito a ver com isso. A metáfora de chamar Deus (ou a criação) ou a si de "Rei" incomodava os imperadores na época, fazendo Jesus ser entendido como alguém que iria tomar o lugar deles no império.

Se os coxinhas, que além de cristãos e também se acham inteligentes, usarem mais a lógica vão perceber que todo o perfil de Jesus se encaixa em um perfeito esquerdista, alguém que nunca enxergou diferenças entre seres humanos, disposto a perdoar os erros de quem comete e cheio de lições de vida a ajudar o homem a desenvolver a sua moral (não confunda com moralismo, que pode existir sem moral) e seu intelecto, pronto a respeitar os homens como irmãos com os mesmos direitos e objetivos de vida.

Pensem muito bem, coxinhas, se querem ser cristãos ou direitistas. Não dá para ser as duas coisas ao memso tempo.

Comentários

Postagens mais visitadas