Religiosidade excessiva de mulher foi causada por tumor no cérebro

Um caso curioso ocorrido na cidade de Múrcia, na Espanha pode explicar a onde de fanatismo religioso que cresce no Brasil e que no fundo nada tem a ver com espiritualidade e "sintonia com o 'alto' ". Uma mulher não muito religiosa virou uma fanática religiosa de uma hora para outra.

Os parentes e amigo da tal senhora estranharam o súbito interesse da mulher pela Bíblia, por assuntos religiosos. A mesma senhora vivia dizendo que conversava com a "Virgem Maria", não no sentido metafórico através de orações, mas como se conversasse com uma pessoa comum.

Tentaram levar a senhora para exames médicos para ver se ela tinha ficado louca e descobriram que a causa era um tumor conhecido como glioblastoma multiforme que havia se instalado no lóbulo temporal direito.

O tamanho e o estado em que se encontrava o tumor, tornou-se impossível a sua remoção por meio de cirurgia. Por isso tiveram que apelar para a quimioterapia, que funcionou com sucesso. Apór o tratamento, os delírios religiosos desapareceram por completo. Mas como a paciente estava excessivamente fragilizada por causa do tumor, ela acabou falecendo.

Os médicos ficaram impressionados com o caso, que deverá ser objeto de estudo. Sem tirar qualquer tipo de conclusão, apenas afirmaram que o lóbulo temporal direito, área afetada pelo tumor, é a área do cérebro que controla a emotividade, a religiosidade, o misticismo e as crenças.

É amigos, a religiosidade nada tem de espiritual, como quase todo mundo pensa.

Comentários

Seguidores

Google+ Followers

Postagens mais visitadas