A hipocrisia dos "Cidadãos de Bem"

A onda de neoconservadorismo tem gerado um grande retrocesso não somente na política, mas nas relações sociais e na capacidade de compreender o mundo. Ideologias putrefatas, que não servem mais para os dias de hoje, retornam apenas para a satisfação particular de uma meia duzia de alucinados, que constroem a realidade de acordo com as suas convicções pessoais.

Embora deixem bem claro o seu egoísmo, o seu sadismo e a agressividade com que tratam assuntos alheios aos seus pontos de vista, os neoconservadores se consideram pessoas "boas" e argumentam que seu comportamento intolerante não é nada alem de uma forma de defesa. Defesa contra o quê, não se sabe, pois os "inimigos" eleitos pelos neoconservadores são claramente irreais.

No fundo, o que os neoconservadores querem é que seus pontos de vista, muitos resultantes de crenças religiosas ou na finalidade bélica de instituições militares (de que nem os militares, hoje democratas pacifistas, querem mais saber), sejam impostos na marra para toda a sociedade.

Se nos aprofundarmos nas crenças defendidas pelos neoconservadores, vamos perceber a sua tolice, a sua inviabilidade. São teses sem pé nem cabeça, com base em lendas, divindades lendárias, invenções de lideranças religiosas e que tem por fim reservar a prosperidade e a dignidade apenas para que segue estas crenças, se possível, eliminando do convívio social (por meio de prisões ou de assassinatos - eu disse: assassinatos) aqueles que não correspondem ás expectativas dos neoconservadores.

Agora eu pergunto: como se auto-rotular de "cidadãos de bem" demonstrando clara intolerância e atitudes sádicas com reprovável desejo de prejuízo alheio? Falam em valores elevados, falam em justiça (o nome que eles dão ao sentimento de vingança), falam em humanidade e vem ainda com a falácia de "direitos humanos para humanos direitos", mas agem como bestas-feras prontas para atacar.

Curioso que os neoconservadores sonham com toda a sociedade apoiando suas ilusões, ignorando que estas ilusões pretendem reservar a felicidade, o bem estar, a dignidade e a prosperidade para uma minoria. Ou seja, os neocons querem que todos defendam os interesses de poucos, com grande maioria das pessoas estando felizes por se ferrarem.

Os neocons falam mal de bandidos, se esquecendo que são seres humanos que erram e podem, através da educação, não errar mais. Aliás, os neoconservadores conseguem ser ainda mais bandidos do que os bandidos pois o desejo mórbido de prejuízo alheio, sobretudo contra quem não os prejudica, coloca os retrógrados neocons na listas dos piores vilões da humanidade. Bom lembrar que a Alemanha da década de 30 foi praticamente arrasada graças à intolerância de um sujeitinho de bigodinho estranho que começou agindo exatamente como os neoconservadores brasileiros agem hoje. Homens de bem? Não sei, não...

Para mim é uma verdadeira hipocrisia. Os neoconservadores não são pessoas de bem. São claramente cruéis. Desejam o prejuízo alheio, querem impor suas ilusões a toda a sociedade e carentes de racionalidade, vivem defendendo ideias surreais e sonham com uma volta ao passado mais remoto, jogando na lixeira todas as lições que aprendemos por estes séculos. 

Os neoconservadores são verdadeiros cidadãos do mal e só a existência deles é uma prova de que temos muito que tomar cuidado com o que acontece ao nosso redor. Tem gente que odeia ser feliz e ver os outros felizes. Os neoconservadores são as bombas humanas que podem destruir o planeta, se não impedirmos o avanço de sua odiosa intolerância.

Comentários

Postagens mais visitadas